GAZETA DO NOROESTE MT

Mato Grosso ,

NOTÍCIAS / Agroprodução

Déficit pluviométrico de 95,8mm em abril contribui para MT deixar de colher 4,2% do milho

Olhar Direto    

23 de de 2016 às 13:44

Divulgação

A colheita do milho 2ª safra em Mato Grosso chegou na última semana a 95,81% dos 4,2 milhões de hectares semeados nesta safra 2015/2016.

Mato Grosso deixou de colher 4,2% dos 4,2 milhões de hectares de milho semeado na safra 2015/2016. O percentual equivale a uma área de 177,7 mil hectares. A produtividade extremamente baixa foi o motivo para que alguns produtores viessem a deixar de colher o cereal em alguns talhões. O déficit pluviométrico em abril, principal período reprodutivo das plantas foi de 95,8 milímetros em relação ao mês em 2015.

A colheita do milho 2ª safra em Mato Grosso chegou na última semana a 95,81% dos 4,2 milhões de hectares semeados nesta safra 2015/2016. As projeções apontam para uma produção de 19,3 milhões de toneladas, 26,21% a menos que as 26,1 milhões de toneladas colhidas no ciclo 2014/2015. A estimativa é que esse número possa cair, visto a colheita ainda estar em andamento.

Conforme o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a produtividade extremamente baixa em alguns talhões chegou ao ponto de a colheita nem mesmo se pagar.

As regiões Nordeste e Médio-Norte, consta no Boletim Semanal do Milho, divulgado pelo Imea, foram as que maiores extensões de área com produtividade extremamente baixa apresentaram. A região Nordeste apresentou um abandono de 18% de sua área semeada, cerca de 75 mil hectares.

"Em contrapartida, as regiões centro-sul e oeste de Mato Grosso foram menos prejudicadas com o baixo nível pluviométrico dessa safra ante às outras regiões do Estado, registrando poucas áreas de abandono e finalizando a colheita com 98,8% e 99,0% sobre a área semeada, respectivamente", pontua o Imea.

Os produtores esperavam uma safra com bom regime de chuvas, porém não foi o que constatou-se. Desde a semeadura da soja 2015/2016, Mato Grosso apresentou déficit pluviométrico. Em abril, período reprodutivo das plantas, o déficit pluviométrico foi de 95,8 milímetros em relação ao mês no ano anterior.

"Ao longo das fases de maturação e enchimento dos grãos, que ocorreram ao longo de mai/16 e jun/16, o acumulado de chuva foi inferior à 30 mm", salienta o Imea.

 











Comente Logo Abaixo




Nenhum comentário foi encontrado, sejá o primeiro a comentar esta notícia.

65 99628 5314

Rua Ramon Sanches Marques , nº 44 , Distrito São Joaquim
Tangará da Serra-MT CEP 78.300-000

Newsletter
       

Copyright© 2013 - 2018. Todos os direitos reservados.