GAZETA DO NOROESTE MT

Mato Grosso ,

NOTÍCIAS / Campo Novo

Campo Novo Do Parecis ganhará centro de pesquisas sobre cultivo de soja

Alexandre Rolim    

06 de Fevereiro de 2017 às 22:01

Divulgação

Para o presidente da Aprosoja, Endrigo Dalcin, a pesquisa é fundamental para refletir nas tomadas de decisão diárias do produtor

Após um ano da parceria selada, a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) e a Fundação MT apresentam, no dia 17 de fevereiro e de forma inédita, os resultados preliminares de pesquisas realizadas sobre a soja em solos arenosos no estado.

A data também marcará, em formato de dia de campo, a inauguração do Centro de Aprendizagem e Difusão (CAD), em Campo Novo do Parecis. O local será uma estação de pesquisa exclusiva para associados da Aprosoja, com experimentos em solos de textura leve e média, com o objetivo de trabalhar e mostrar o desafio do cultivo em solos arenosos.

Tema ainda pouco pesquisado e debatido no Brasil de maneira geral, conforme o pesquisador da Fundação MT, Leandro Zancanaro, o que as instituições estão fazendo inaugura um novo capítulo da pesquisa brasileira sobre solos e agricultura.

“Mato Grosso é o maior produtor de soja, milho, algodão e também pecuária, além de ser extenso. Exatamente por isso, sabemos de sua heterogeneidade no ambiente de produção, que é a união do solo e temperatura. Temos variadas temperaturas e, de forma ainda mais ampla, variados solos. E por isso a pesquisa é fundamental: precisamos ter estratégias de manejo direcionadas para esses diferentes ambientes de produção”, explica Zancanaro.

Para o presidente da Aprosoja, Endrigo Dalcin, a pesquisa é fundamental para refletir nas tomadas de decisão diárias do produtor. “Dominar o manejo da soja nestas condições de cultivo é fundamental para reduzir riscos, custo e garantir a produção e produtividade para os agricultores. Dominar o pacote tecnológico e as ferramentas de manejo integrado nestas áreas é um desafio posto pelos agricultores aos pesquisadores e engenheiros agrônomos”, destaca.

Segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), são 9,4 milhões de hectares voltados para a produção de soja atualmente em Mato Grosso e, de acordo com Leandro Zancanaro, destes, entre 1,5 milhão e 2 milhões de hectares correspondem a solos frágeis, o que seria cerca de 15% de toda a área de produção.

 











Comente Logo Abaixo




Nenhum comentário foi encontrado, sejá o primeiro a comentar esta notícia.

65 99628 5314

Rua Ramon Sanches Marques , nº 44 , Distrito São Joaquim
Tangará da Serra-MT CEP 78.300-000

Newsletter
       

Copyright© 2013 - 2018. Todos os direitos reservados.